CBT@News 221/2012

Uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) comparou dados sobre os índices de poluição na capital paulista em dias de greve dos metroviários e em dias normais de operação. Segundo a pesquisa, se o metrô deixasse de operar por um ano o número de casos de morte por problemas cardiorrespiratórios poderia crescer entre 9% e 14%. E a principal causa dessas mortes seria por problemas decorrentes do aumento da concentração de poluentes na atmosfera. Veja mais detalhes na matéria publicada sobre o assunto no portal Terra. Leia mais