Imprimir esta página

Com casa cheia, Tunnel Day supera as expectativas mais uma vez Destaque

Avalie este item
(2 votos)

Em sua segunda edição, o Tunnel Day já se tornou uma tradição no Comitê Brasileiro de Túneis. Realizado sempre no dia 4 de dezembro, dia de Santa Bárbara – padroeira dos mineiros e tuneleiros, o evento reúne a comunidade técnica para debater assuntos relevantes para o setor. Em 2018, o tema escolhido foi Concreto Projetado em Obras Subterrâneas. Com mais de 160 participantes presentes e mais 60 assistindo à transmissão ao vivo pela internet, a segunda edição do Tunnel Day contou com palestras e mesas-redondas e terminou com a confraternização do CBT. “Foi o evento que encerra a minha jornada à frente do CBT”, lembra Werner Bilfinger, presidente do Comitê. “E só tenho coisas boas para falar deste Tunnel Day. Auditório lotado, discussões muito relevantes, público interessado. Foi excelente!”

A mesa de abertura do evento teve a presença de Alessander Kormann, presidente da ABMS – Associação Brasileira de Mecânica dos Solos e Engenharia Geotécnica, Alexandre Gusmão, vice-presidente da ABMS e presidente eleito para a próxima gestão (2019-2020), Adalberto Azevedo, ex-presidente da ABGE e representante da entidade no evento, Roberto Kochen, diretor do Instituto de Engenharia, Lineu Ayres da Silva, presidente do CBMR – Comitê Brasileiro de Mecânica das Rochas, e Werner Bilfinger, presidente do CBT. 

Kormann abriu os discursos parabenizando o CBT pelo Tunnel Day e falando sobre a importância de reunir a comunidade para debates como aquele. Gusmão foi o próximo, e abordou a relação ABMS-CBT, que será estreitada ainda mais na próxima gestão. As reuniões com este objetivo já começaram. Adalberto Azevedo ressaltou a importância da aproximação entre as associações. 

Roberto Kochen falou sobre a valorização da boa engenharia e como eventos com o Tunnel Day contribuem para isso. O presidente do CBMR, Lineu Ayres da Silva, parabenizou o CBT pela iniciativa, que já está se tornando tradição, e pelas importantes discussões promovidas. Werner Bilfinger encerrou a mesa de abertura fazendo um resumo da programação do dia e agradecendo aos presentes e aos patrocinadores.

Em seguida, Cássio Moura, secretário geral do CBT e diretor da Concreto Projetado Brasil, proferiu a palestra “História do Concreto Projetado”. A atração seguinte foi a mesa-redonda “Dimensionamento de Concreto Projetado no Projeto de Túneis”, que teve a mediação de Werner Bilfinger e a participação de Antonio Figueiredo, da Poli-USP, Carlos Maffei, da Maffei Engenharia, Carlos Campanhã, da CJC Engenharia e Projetos, Fernando Stucchi, da EGT Engenharia e Poli-USP, e Carlos Mieble, consultor. A plateia também participou da discussão com perguntas e ponderações.

Após o coffee break oferecido pelos patrocinadores, o Tunnel Day continuou com a apresentação das diretrizes CBT-EPUSP para uso do “Concreto Projetado Reforçado com Fibras”, que coube a Antonio Figueiredo, professor da Escola Politécnica da USP. Ele explicou que essas diretrizes estão apresentadas em um documento a ser em breve disponibilizado no site do Comitê –, que ficará disponível para consulta e comentários. 

O objetivo é que as contribuições gerem novas versões, aprimoradas. Em sua apresentação, Figueiredo ressaltou a importância da interlocução entre todos os envolvidos numa obra subterrânea (projetistas, tecnologistas, executores, consultores) para que o objetivo comum de todos seja alcançado: um bom túnel para a sociedade.

Na sequência, foi a vez da mesa-redonda “Concreto Projeto – Presente e Futuro”, que teve Cássio Moura como moderador e a participação de Helger Schmidt, da MC Bauchemie, Paulo Fernando, da Concremat, Antonio Figueiredo, Maurício Garcia, da BASF, George Teles, da Solotrat, e João Duarte, da ESTE. Mais uma vez, a participação da plateia foi fundamental para o andamento do debate.

 

Diretrizes para Concreto Projetado Reforçado com Fibras 

Na ausência de normas técnicas brasileiras publicadas sobre o tema Concreto Projetado Reforçado com Fibras (CPRF), o engenheiro e professor Antonio Figueiredo, da Poli-USP, elaborou um documento, cuja síntese foi apresentada no Tunnel Day, que visa a “orientar projetistas, especificadores e executores de revestimentos de túneis com CPRF sobre as melhores práticas para abordar o material com finalidade estrutural nas suas especificações”.

“O objetivo é proporcionar ao meio técnico uma referência de recomendação prática para a aplicação do CPRF”, explica Figueiredo. “E garantir um melhor nível de controle para as obras e a otimização dos processos”.

As diretrizes buscam ainda “orientar o estabelecimento de requisitos mínimos de desempenho do CPRF destinado à aplicação em revestimentos de túneis com finalidade estrutural, ressaltar a importância da execução de estudos prévios de qualificação do material e dosagem, de modo a atender aos referidos requisitos e a propor um novo padrão para o controle da qualidade durante a execução da obra”, complementa o professor, que está à frente do processo.

Para a elaboração das diretrizes, Figueiredo levou em consideração algumas premissas, como o respeito às recomendações internacionais consolidadas, a garantia da aplicabilidade dos procedimentos para as condições brasileiras, o respeito à documentação técnica já existente (Normas ABNT e Práticas recomendadas do IBRACON/ABECE). O documento final, segundo Figueiredo, deve ter máxima aderência à cultura técnica existente e respeito ao conhecimento tecnológico atual.

O documento estará disponível para consulta e download no site do CBT. “Contamos com a colaboração de todos os envolvidos para que apontem os pontos positivos e as falhas nas diretrizes”, ressalta Figueiredo. “Esta é apenas a primeira versão. Esperamos ter muitas contribuições para que novas versões, aprimoradas, possam ser lançadas em breve”.

 

Premiações e homenagens

O Tunnel Day é também um momento de dedicação ao Prêmio Prof. Figueiredo Ferraz, do CBT, que destaca o melhor projeto de conclusão de curso ou iniciação científica nas áreas de projeto e construção, operação, manutenção e reforço de túneis, obras subterrâneas e planejamento do espaço subterrâneo. 

Na edição 2018, o segundo lugar ficou com o trabalho Orientação Topográfica na Escavação de Túneis Com Tuneladora TBM Shield, dos autores Eduardo Moreira da Silva, Josias Joel Vicente da Silva, Rogério Alves dos Anjos, Willian Roberto Giambartolomeo Meneghini, que teve orientação de Philipe Matias. 

E o trabalho vencedor foi Comparação do Desempenho dos Métodos Construtivos dos Túneis NATM e TBM com Base nos Deslocamentos Provocados, dos autores Beatriz Marcílio Guerrero, Caroline Sueko Gregorio Ogura, Ellen Thiemy Ishiko e Gabriel Correia Brizola de Oliveira e do orientador Marco Rosatti.

O CBT aproveitou a oportunidade para homenagear a Companhia do Metropolitano de São Paulo por seus 50 anos e pelos serviços prestados à sociedade. 

O geólogo Hugo Cássio Rocha, ex-presidente do CBT, foi o profissional escolhido pelo Comitê para receber as homenagens de 2018. Hugo foi homenageado pelos relevantes trabalhos prestados ao CBT e à toda a comunidade tuneleira do Brasil.

Vanda Oliveira, secretária do CBT, também foi homenageada pela Diretoria por toda a sua dedicação ao Comitê.

E o Tunnel Day 2018 terminou com a confraternização do CBT, com um coquetel oferecidos pelos patrocinadores. As empresas que apoiaram o evento foram: Andrade Gutierrez, Basf, GCP, Geobrugg, Incotep, Maccaferri, Normet, Sika, Solotrat e Soprema

 

 

 

Confira aqui o álbum de fotos do evento.